09/04/2019

Magistrados do TRT do Paraná participam de visita técnica ao Grupo Madero

<<Voltar
Magistrados durante a visita à fábrica
Magistrados visitam fábrica da empresa, em Ponta Grossa

Evento é de caráter preparatório à 9ª Semana Institucional da Magistratura do TRT da 9ª Região e será replicado nos demais Polos do TRT-PR

Cerca de dez magistrados da Justiça do Trabalho do Paraná participaram na sexta-feira (5 de abril) de visita técnica à fábrica do Grupo Madero, na cidade de Ponta Grossa.

O objetivo da Escola Judicial, organizadora da visita, foi propiciar aos juízes do Trabalho do polo de Ponta Grossa (Ponta Grossa, Castro, Guarapuava, Irati, União da Vitória, Jaguariaíva, Telêmaco Borba e Wenceslau Braz) elementos de reflexão acerca da Revolução 4.0, aferida no aspecto da mudança de paradigma em relação à maneira como as fábricas operam nos dias de hoje.

Tratou-se de evento de caráter preparatório à 9ª Semana Institucional da Magistratura do TRT da 9ª Região, que será replicado nos demais Polos do TRT-PR, segundo as potencialidades locais. "É muito importante que o juiz saia de seu gabinete e vá constatar in loco quais são os problemas, as dificuldades, além das facilidades, que os empresários têm na utilização da mão de obra", comentou o desembargador Cassio Colombo Filho, diretor da Escola Judicial. Para ele, "isso contribui fortemente na formação dos nossos magistrados, facilitando a atividade jurisdicional ao dar uma visão mais próxima da realidade".

Participaram da visita os magistrados Cássio Colombo Filho, Morgana de Almeida Richa, Ana Cláudia Ribas, Abeilar dos Santos Soares Júnior, Fernando Hoffmann, Flávia Daniele Gomes, James Josef Szpatowski e Silvana Souza Netto Mandalozzo.

A VISITA

Segundo a coordenadora da EJ, juíza Morgana de Almeida Richa, quando a Escola Judicial realiza uma dinâmica de formação continuada em forma de visitação, busca-se experiência. "Essa experiência tem como fundamento conhecer o modelo de produção em que se insere o mundo do trabalho", informou. De acordo com a magistrada, o Grupo Madero foi escolhido pela coordenadora da EJ na região, juíza Ana Cláudia Ribas, porque a empresa é "prata da casa", seu fundador é da região de Ponta Grossa e considerando que foi construída uma empresa de grande porte em termos de Brasil a partir da visão pessoal do Junior Durski, com base na excelência de produção, de entrega e de prestação de serviços. Um aspecto que chamou a atenção da magistrada na visita técnica "é que o trabalho terceirizado não contribui para uma produção mais aperfeiçoada. Todas as fases de produção até a entrega do produto são a partir de contratação direta", sintetizou.

De acordo com a juíza Ana Cláudia Ribas, a visita possibilitou verificar o cuidado com a qualidade de tudo o que é produzido na fábrica e o entendimento de que, para que o produto final seja de qualidade deve haver uma padronização, que só é possível com a centralização da produção. "Para que esse objetivo seja atingido, os trezentos trabalhadores da fábrica são funcionários diretos da empresa: do porteiro aos motoristas que fazem a entrega dos produtos nos 150 restaurantes do Grupo. Essa preocupação é visível seja na linha de produção das carnes, pão, sobremesas, seja no fato do número do celular do proprietário estar gravado para eventuais reclamações nas embalagens das marmitas de refeições enviadas aos funcionários de todos os restaurantes do Grupo", ressaltou a juíza.

Para a juíza Flávia Daniele Gomes, a visita foi excelente, "seja pela aproximação que essas atividades permitem, seja pela identificação visual do que ouvimos em sala de audiência". Segundo a magistrada, a indústria Madero impressiona pela centralização e pelo cuidado com os detalhes. "Não há trabalhadores terceirizados e diversos processos ainda são bem artesanais, alguns deles como o envase que logo será automatizado", destacou.

O GRUPO

O Grupo Madero teve início em 2005 pelo chef Junior Durski. Possui cerca de seis mil funcionários em todo o Brasil e conta com três marcas no mercado: restaurante Madero, Jeronimo e A Sanduicheria do Junior Durski. São mais de 150 restaurantes. A meta em 2019 é inaugurar 50 novas operações. O Grupo Madero é uma empresa paranaense e todos os produtos que fazem parte dos cardápios são produzidos na Cozinha Central, em Ponta Grossa.

Dentre os produtos produzidos, prima-se pela qualidade e por oferecer "comida de verdade" aos clientes. O hambúrguer, por exemplo, não possui nenhum tipo de conservante e sua composição é 85% carne e apenas 15% de gordura, enquanto o que é oferecido no mercado possui 30% de gordura. O Grupo produz atualmente 4 milhões de hambúrgueres por mês.

Confira a seguir os depoimentos dos dirigentes da Escola Judicial: juíza Morgana de Almeida Richa, coordenadora, e desembargador Cassio Colombo Filho, diretor.




Last modified: Wednesday, 10 April 2019, 11:53 AM