17/09/2018

Corregedor Regional apresenta projetos a juízes de primeiro grau

<<Voltar

Foto: Corregedor do TRT-PR, desembargador Sérgio Murilo Rodrigues Lemos
Corregedor do TRT-PR, desembargador Sérgio Murilo Rodrigues Lemos

O diálogo entre os juízes do Primeiro Grau e a Corregedoria Regional do TRT-PR, na VIII Semana Institucional do TRT-PR, aconteceu na tarde da última quinta-feira (13/09). O Espaço da Corregedoria teve o tom de conversa, em que o corregedor regional, desembargador Sérgio Murilo Rodrigues Lemos, pode apresentar a metodologia que vem adotando neste biênio 2017/2019 para solucionar os desafios específicos de cada vara do trabalho.

Ele destacou que seu trabalho à frente da corregedoria teve dois aspectos determinantes. O primeiro foi o efeito da Resolução do Conselho Nacional de Justiça nº 219/2016 no TRT-PR. A norma administrativa do CNJ teve como principal efeito priorizar a distribuição da força de trabalho nos tribunais regionais para a área judiciária, com especial ênfase ao Primeiro Grau de Jurisdição. "A Resolução 219 do CNJ foi o primeiro sinal de que o Primeiro Grau teria um desempenho maior que o do ano anterior", comentou.

O segundo aspecto que o desembargador Sérgio Murilo pontuou foi quanto à redução do número de processos. Segundo as estatísticas do TRT-PR, houve uma redução nos últimos 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. "Ao final do ano de 2018 devemos ter uma redução de 50% a 60% no número de processos, e eu particularmente penso que será da ordem de 50%", afirmou.

Para chegar a esta meta, o corregedor regional apresentou uma ferramenta desenvolvida o próprio TRT-PR que mensura a taxa de congestionamento processual das varas do trabalho. O utilitário será lançado nesta segunda-feira (17/09) e ficará disponível para todas as unidades de Primeiro Grau, tanto as VTs como a própria Corregedoria Regional.

Com a ferramenta, um novo modelo de ranqueamento para avaliação de desempenho das varas passou a ser adotado, levando em conta a realidade específica de cada uma e da jurisdição onde está a unidade. Com isto a proposição de soluções também respeitará as peculiaridades locais. "A nova ferramenta de Taxa de Congestionamento Geral permitirá que a corregedoria supere a sua função tradicional, pois acreditamos que protagonismo das unidades impacta o desempenho do Tribunal como um todo", explanou o desembargador.

Outro destaque dado à ferramenta é que ela permitirá que juízes e diretores vejam o impacto das atividades desenvolvidas nas varas, assim como poderão acompanhar em que grau os procedimentos influenciam para que as prioridades definidas pela corregedoria sejam atingidas.

"Fizemos três perguntas: o que queremos realizar? Como saberemos que atingiremos os objetivos? - esta pergunta raramente é feita - e o que vamos fazer para atingir este objetivo?", finalizou o corregedor.


Assessoria de Comunicação do TRT-PR
Foto: Letícia Neco

(41) 3310-7309
ascom@trt9.jus.br

Última atualização: terça, 18 Set 2018, 15:22