23/05/2019

Mindfulness: como a atenção plena pode melhorar a produtividade no setor público

<<Voltar
Palestrante Edson Luiz Charneski
Edson Luiz Charneski é psicólogo, instrutor e formador certificado de Mindfulness

Acesse a Galeria de fotos

"Eu sou muito ansioso, essas coisas de meditação não são para mim";

"A ideia é boa, mas eu não tenho tempo";

"Sou muito prático, não acredito nestas coisas de subjetividade".

Provavelmente você conhece alguém que se considera incapaz de focar o pensamento por mais que dez segundos em um único objeto ou assunto. Isso se não for você mesmo esta pessoa que tem dificuldade de se concentrar ou de dedicar uma parte do seu tempo a perceber a si mesmo e a realidade ao seu redor.

Foi principalmente para pessoas com este perfil que a Escola Judicial do TRT-PR promoveu nesta quarta-feira (22/05) a palestra "Introdução ao Programa Mindfulness", com o psicólogo analítico Edson Luiz Charneski, que é formador e instrutor da prática. O evento foi realizado no Plenário Pedro Ribeiro Tavares, na Sede do TRT-PR.

Mas afinal, o que é Mindfulness?

Segundo o psicólogo Edson Charneski, o Mindfulness é geralmente traduzido como "atenção plena". A palavra pode se referir tanto às técnicas de exercício de atenção e da percepção da própria realidade, quanto o estado mental que estas técnicas proporcionam. "O Mindfulness surgiu nos anos 1970, por meio do biólogo molecular Jon Kabat-Zinn, que resolveu aplicar técnicas meditativas para redução do estresse e da dor de pessoas enfermas", esclarece.

"Mindfulness não é meditação, mas é um pouco mais amplo, pois deixa de lado a parte religiosa, que geralmente acompanha as meditações, para focar nas técnicas de autoconsciência e de concentração plena. Não vamos encontrar aqui palavras em sânscrito, em pali ou em japonês, mas palavras do nosso cotidiano", descreve.

Segundo o psicólogo, as técnicas de Mindfulness servem para praticamente todas as pessoas, a exceção de casos de surto psicótico ou de crises profundas de depressão. "No curso básico, nós começamos com exercícios rápidos, de 10 minutos, mas os exercícios podem ser feitos de diversas maneiras: sentado, em pé, deitado, durante as refeições e mesmo dirigindo. O equipamento nós já temos, que é a mente, e a atenção plena é uma capacidade natural do ser humano que pode ser exercitada", exemplifica.

Segundo pesquisas neurológicas apresentadas pelo palestrante, ao focar a atenção em determinado aspecto de si, de forma aberta, sem julgamentos e com "olhar de principiante", não apenas padrões mentais, emocionais e comportamentais mudam, mas o próprio cérebro reorganiza os "caminhos neurais" das sinapses (junções de neurônios com neurônios, ou neurônios com músculos). "Trata-se da chamada neuroplasticidade, que é a capacidade de o cérebro se modificar", comentou.

Pesquisas científicas

Plateia do evento
Palestra teve como objetivo sensibilizar servidores e magistrados para a prática que pode melhorar a produtividade e a qualidade de vida

Edson Luiz Charneski explicou que os primeiros benefícios da "Atenção Plena" ocorrem em uma melhor regulagem do neurotransmissor cortisona, que é liberado pela glândula amigdala (glândula localizada na base temporal do cérebro; não confundir com as amigdalas localizadas na garganta). Este hormônio cumpre uma função de lidar com situações de estresse. No entanto, seu excesso é causador de ansiedade; e a ansiedade extrema pode causar depressão, diminuição da imunidade, insônia e síndrome do pânico, dentre outros efeitos nocivos à saúde.

As atitudes corretas, não reativas e lúcidas sobre as causas e efeitos, são uma consequência natural da prática da Atenção Plena, portanto. Entendendo como funciona a lógica da própria mente, os demais aspectos da vida ganham qualidade, seja no ambiente familiar, seja no ambiente profissional, ou mesmo nos hobbies de cada um.

Escola Judicial

Ao receber o convidado na abertura do evento, o diretor da Escola Judicial, desembargador Cássio Colombo Filho, destacou que sua gestão à frente da instituição de ensino tem como tripé o aprimoramento técnico-científico dos estudos jurídicos; a utilização da tecnologia como ferramenta para organizar o trabalho, em especial a chamada Revolução Industrial 4.0; e o terceiro eixo é a melhoria da qualidade de vida, bem estar e eficiência no trabalho.

"Após eu fazer um curso em São Paulo, fui pesquisar sobre o Mindfulness e descobri que a técnica aumenta do poder de concentração e a eficiência, e obviamente isto faz um bem danado para a vida das pessoas. Então, o que estamos fazendo aqui é uma sensibilização para uma tentativa de mudança inclusive para as nossas relações pessoais. Isso aqui tem uma ciência muito grande por trás, não tem nada a ver com religião, mas tem a ver com mais consciência", discursou o diretor da EJ.

Sobre o palestrante

Edson Luiz Charneski é psicólogo com  especialização em psicologia analítica (psicologia junguiana) e  instrutor sênior de mindfulness e formador de outros profissionais. Sua primeira formação é de economista, tendo atuado na área de planejamento e gestão de negócios. Também tem formação como instrutor de yoga e meditação, sendo certificado pela ISMA - International Stress Management. Tem certificação como  Instrutor Mindfulness pela UNIFESP.

Segundo ele, desde muito cedo demonstrou interesse pelas práticas contemplativas e também teve experiências com a cultura oriental na Índia, Nepal e Butão. Atualmente coordena em Curitiba o centro MINDFUL de saúde integrativa, além de prestar atendimento em psicoterapia facilita programas regulares e de formação em  mindfulness.

Assista abaixo a palestra:


Assessoria de Comunicação do TRT-PR
Fotos: Gilberto Bonk
(41) 3310-3713
ascom@trt9.jus.br



Last modified: Monday, 27 May 2019, 3:59 PM