07/06/2019

Realizada visita técnica à indústria de agroquímicos Nortox S/A em Arapongas

<<Voltar
Foto dos participantes durante visita técnica
Acesse a Galeria de fotos

Magistrados e servidores da Justiça do Trabalho do Paraná participaram, na manhã desta sexta-feira (7), de visita técnica à indústria de agroquímicos Nortox S/A, em Arapongas. Na ocasião, foram recepcionados por Jaison Lab (departamento jurídico) e Julio César Cela Vieira (gerente da área industrial).

Trata-se de evento de caráter preparatório à "9a Semana Institucional da Magistratura do Trabalho - Revolução 4.0", que acontece de 9 a 13 de setembro deste ano.

A visita iniciou com a apresentação da fábrica, com explanação geral da linha de produção, desenvolvimento de pesquisa, princípios ativos e formulação. Foram destacados aspectos relativos à segurança do trabalho e perfil dos trabalhadores, tempo de casa e faixas etárias.

Após, iniciou-se a visitação da planta industrial, caracterizada por enormes galpões, tanques de armazenamento dos produtos, setores de produção, envase, embalagem, laboratórios e áreas de testes. Segundo a coordenadora da Escola Judicial, juíza Morgana de Almeida Richa, no quesito tecnologia, a indústria é caracterizada pela produção mecanizada, em elevado grau de sofisticação, e a mão de obra humana está mais atrelada ao controle das máquinas, segurança, testes qualitativos e supervisão da produção. "A par de ser uma indústria de agroquímicos, demonstra preocupação elevada com o meio ambiente, dentro da saudável inserção no mercado", destacou a magistrada.

Impressões da visita
De acordo com a juíza Sandra Cristina Zanoni Cembranelli Correia, titular da Vara do Trabalho de Arapongas e responsável pela visita à Nortox, o evento oportunizou acompanhar o processo de produção tanto de produtos líquidos quanto sólidos. "A planta da empresa é muito grande. Chama a atenção a automatização e também o reduzido número de funcionários. Interessante, ainda, ver como todos os trabalhadores sentem-se felizes respeitados trabalhando aqui. Preocupação como meio ambiente também é grande. A empresa sofre forte fiscalização, que nos deixa tranquilos porque uma empresa da nossa região respeita tanto as regras ambientais", ressaltou a magistrada.

Para a juíza Ana Paula Sefrin Saladini, coordenadora regional da Escola Judicial e titular da Vara do Trabalho de Cambé, foi extremamente interessante ver uma fábrica bem estruturada, onde não há contato dos trabalhadores diretamente com produto químico, mostrando a preocupação com a segurança visando à saúde dos trabalhadores. "Extremamente interessante quebrar preconceitos. Imaginava-se que seria um local feio, sujo e contaminado. Pelo contrário, pudemos constatar com a visita que a fábrica é limpa, bonita e muito saudável o modo como lidam com a mão de obra", salientou.

O juiz substituto Kleber Ricardo Damasceno lembrou que a Nortox é uma das mais importantes da região Norte do Estado, tanto em número de empregados quanto em volume de produtividade. "A visita foi bastante importante porque pudemos conhecer o processo produtivo da empresa e observar os sistemas utilizados tanto no que se refere à segurança do trabalho quanto à própria forma como o trabalho é realizado. Nós percebemos que há de fato uma enorme informatização e mecanização. Há pouquíssimos empregados trabalhando dentro de vários setores. Muitos setores inteiros com apenas dois empregados trabalhando, sendo quase 100% de automatização. Os setores, que empregam um maior número de mão de obra e exigem um certo esforço físico, são os de envasamento de produtos, expedição e estocagem. Já a fabricação em si, que consiste nas reações químicas, nas misturas de produtos químicos, é basicamente de forma mecânica com pouquíssimo trabalho humano", evidenciou.

"Foi muito interessante ver que a Nortox é uma empresa bem-estruturada. É de alta importância na agricultura da região, na qual há pequenas propriedades rurais e uma grande indústria agroquímica que atende o Brasil inteiro. A visita foi positiva pela capacitação e pela proximidade com a indústria local. A empresa que vemos diariamente em processos trabalhistas, hoje estamos vendo in loco", acentuou a diretora de Secretaria da VT de Arapongas, Danieli Nunes Fassulla Odebrecht.

O servidor Moisés Rosa, agente de segurança, disse que foi muita positiva a visita. "Serviu, sobretudo para mudar a minha maneira de pensar em relação à atividade fim da empresa - a produção de fungicida, herbicida. Tinha uma ideia inversa à realidade do trabalho da Nortox, não só no desenvolvimento da economia local, mas também sobre a produção nacional", frisou.

Para ver fotos da visita, acesse o Flickr do TRT-PR.

A indústria
A Nortox é uma empresa 100% nacional, estando hoje na terceira geração. Fabrica inseticidas, herbicidas, fungicidas e fertilizantes, além das embalagens utilizadas internamente. Os produtos são utilizados para combate a plantas daninhas, insetos e fungos, além de fertilizantes.

A indústria conta com 569 colaboradores. No que se refere à segurança do trabalho, os empregados passam por uma reciclagem de segurança após voltarem de férias e quando mudam de setor. A Nortox, por trabalhar com produtos de elevada carga tóxica (por exemplo, amônia), tem cuidados muito específicos, mantendo segurança rígida, envolvendo equipamentos, treinamentos e simulados periódicos.

Segundo Jaison Lab, "a visita à empresa foi extremamente gratificante porque tivemos a oportunidade de demonstrar algumas das nossas práticas trabalhistas aos magistrados e servidores, principalmente no que se refere à implementação da segurança do trabalho. Espero que tenha sido também produtivo para os membros do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, atingindo o objetivo almejado. A empresa está aberta para novas turmas de visitantes", finalizou.


Fonte: Escola Judicial do TRT-PR
Assessoria de Comunicação do TRT-PR

(41) 3301-7313
ascom@trt9.jus.br

Last modified: Monday, 10 June 2019, 11:01 AM