19/06/2019

Magistrados e servidores visitam laboratório de medicamentos em Toledo

<<Voltar

Conhecer a realidade de uma indústria farmacêutica foi a oportunidade que magistrados e servidores da Justiça do Trabalho do Paraná tiveram na última sexta-feira (14), em visita técnica à empresa Prati-Donaduzzi, em Toledo/PR. Trata-se do maior laboratório de genéricos do Brasil, fundado há 25 anos, que hoje está entre as 1000 maiores empresas do país.

A visitação faz parte de evento de caráter preparatório à "9a Semana Institucional da Magistratura do Trabalho - Revolução 4.0", que acontecerá de 9 a 13 de setembro deste ano.

Foto participantes durante visita técnica
Foto participantes durante visita técnica

 












A empresa

O laboratório produz quase 20% dos remédios genéricos consumidos no país. A empresa foi fundada por um casal de farmacêuticos, com mestrado e doutorado na França, que voltaram ao Brasil com a missão oferecer medicamentos com eficácia comprovada. A empresa iniciou suas atividades para atender, inicialmente, o fornecimento de medicamentos ao governo. Em 2010, atingiram a liderança desse mercado, tornando-se o maior fornecedor de medicamentos no país.

O objetivo era ser reconhecido como marca de referência nacional, o que deu início aos investimentos também no varejo. Hoje, este segmento responde por mais de 50% da produção do laboratório. Muito se deve ao fato de realizarem venda direta para o cliente, sem a utilização de distribuidores.

Além de estarem presentes em todos os estados e municípios brasileiros, também exportam para outros países. Diante desta produção, seu faturamento supera, atualmente, 1 bilhão de reais por ano.

Sua missão é prover saúde e bem-estar através de produtos farmacêuticos de alta qualidade e confiabilidade. Os seus valores estão pautados na ética, no respeito e na honestidade, e o seu compromisso é com a busca pela excelência.

Foto participantes durante visita técnica
Foto participantes durante visita técnica


Ser humano no DNA da empresa

Os 4.300 colaboradores diretos produzem os fármacos, mas também todas as embalagens, bulas, cartonagens, frascos, etc., bem como o transporte das mercadorias para abastecer as filiais. A empresa possui baixa rotatividade de empregados e elevado tempo médio de serviço dos funcionários à empresa, resultado da política de investimento no desenvolvimento das pessoas.

A fábrica possui 67 mil metros de área construída. Além da indústria, possuem uma universidade corporativa, que faz o treinamento dos colaboradores. Entre os cursos, está o programa de residência em indústria farmacêutica, semelhante a uma residência médica. Além disso, a fim de incentivar o conhecimento às novas gerações, oferecem cursos para crianças (filhos de funcionários e comunidade), como incentivo de estudo à ciência e à robótica.

Programas de responsabilidade social também são desenvolvidos pela empresa, dentre eles a contratação de ex-detentas para reinserção na comunidade, a contratação de portadores de necessidades especiais acima da cota, medidas de incentivo ao esporte, financiamento de programas, dentre outros.

Impressões da visita
Diversos fatores levaram à escolha da indústria Prati-Donaduzzi para visitação. O diferencial, para a juíza Gabriela Macedo Outeiro, titular da 2ª vara do trabalho de Toledo, foi conhecer uma empresa moderna e com surpreendente tecnologia, que possui uma estrutura verticalizada, grupo econômico com empresas para atender várias atividades da empresa e laboratórios de pesquisa. "Essa verticalização e o investimento em educação e treinamento reflete diretamente nos lucros, o que nos faz concluir que existe uma atuação empresarial que consegue beneficiar as duas partes da relação de emprego".

Para o magistrado Silvio Bueno, titular da vara do trabalho de Assis Chateaubriand, a visita foi uma das melhores atividades que já participou pela Escola Judicial. "Conhecemos o processo produtivo de uma indústria de medicamentos de ponta e tivemos palestras sobre o seu funcionamento. Além disso, visitamos o prédio do curso de medicina da Universidade Federal do Paraná e os laboratórios e startups que estão em funcionamento dentro do Biopark de Toledo, que é um projeto visionário, que vai modificar a realidade socioeconômica da região oeste do Paraná".

Para Eder Fernando Maffissoni, o diretor-presidente da empresa, a visita é uma troca de experiências. "São 25 anos de história, em que temos a acrescentar para muitas empresas que estão começando; por outro lado, podemos extrair as experiências dos visitantes para evoluir a cada dia".


Fonte: Escola Judicial do TRT-PR

Last modified: Monday, 24 June 2019, 1:53 PM